Centenário de Sinatra é atração na Cinemateca do MAM

Mostra “Frank Sinatra – A Voz no Cinema” exibirá, de 18 de agosto a 6 de setembro, mais de 30 filmes estrelados pelo astro e terá ainda exposição, palestra e debate

Marujos do amor

De 18 de agosto a 6 de setembro, lugar de fã de Frank Sinatra é na Cinemateca do MAM. Com a programação de mais de 30 filmes estrelados pelo cantor e ator, a Mostra “Frank Sinatra – A Voz no Cinema” será uma homenagem ao centenário do grande astro americano, proporcionando ao público acesso a longas que não estão disponíveis nem em DVD no Brasil. Além dos filmes, haverá um debate e uma exposição gratuita com reproduções de pequenas estátuas da figura do cantor, pôsteres, fotos autografadas, cartas e ingresso do monumental show no Maracanã, em janeiro de 1980 (recorde de público na época, com 170 mil pessoas presentes). Abrindo a mostra, dia 18 de agosto, às 14h, haverá palestra gratuita com os professores Richard Penã e João Luiz Vieira sobre as interseções entre Frank Sinatra e Dick Farney, entre o cinema americano e o brasileiro.

Com curadoria dos jornalistas e críticos Mário Abbade e Ricardo Cota, a mostra se propõe a resgatar o lado ator de um dos mais importantes artistas do século XX. Sinatra (1915-1998) entrou para a história como um dos maiores intérpretes de todos os tempos, mas, além disso, o cantor também teve performances memoráveis como ator, chegando a ganhar o Oscar – dos anos 40 aos 80, fez mais de 60 filmes.

“A mostra vai servir ao enfoque desse lado menos explorado, mas de reconhecidas qualidades, de um nome tão importante para diversos públicos brasileiros. O talento dramático do artista que lotou o Maracanã reúne um sem-número de referências que comprovam a importância da mostra”, afirma Mário Abbade, que reuniu um material para fã de Sinatra nenhum botar defeito: “Teremos o quadro com as fichas e o baralho usado na época que o atual cassino Hotel Venetian se chamava Sands, local onde o Rat Pack se apresentava, foto com o grupo e as assinaturas de todos os membros, entre outras raridades”. (Nota: Rat Pack é o apelido dado a um grupo de artistas populares muito ativo entre meados da década de 1950 e meados da década de 1960. Sua formação mais famosa foi composta por Frank Sinatra, Dean Martin, Sammy Davis Jr., Peter Lawford e Joey Bishop, que apareceram juntos em filmes e em apresentações nos palcos no começos dos anos 1960.)

Antes mesmo do show no Maracanã, Frank Sinatra já tinha uma forte ligação com o Brasil. Ele se tornou o embaixador da bossa nova no mundo, quando levou Tom Jobim para os Estados Unidos na década de 1960 e gravou um disco inteiro com o maestro brasileiro, popularizando a bossa nova no mundo.

Além de o cantor ser uma referência para diferentes gerações, a força e o alcance de Sinatra, também em camadas mais populares do público brasileiro, ficaram registradas inclusive em episódios marcantes do cinema nacional. Numa cena emblemática de “Edifício Master”, do premiado cineasta Eduardo Coutinho, que inspirou seu longa “As canções”, um morador do prédio que é tema do filme canta “My way” e demonstra a importância da gravação de Frank Sinatra para classes e nacionalidades diversas. Por esse motivo também serão exibidos dois filmes com Dick Farney.

“Esta  será a minha primeira grande mostra como curador do MAM e que tem uma dimensão de cinema internacional. O impacto que o Sinatra tem como personalidade artística é fantástica. Mas não queremos perder o toque brasileiro: exibiremos também os filmes ‘Carnaval Atântica’ e ‘Somos Dois’, com Dick Farney, que foi tido como a versão Sinatra do cinema brasileiro. Estaremos alinhados com o cinema do mundo, mas sempre buscando essa ligação com o cinema nacional”, diz Ricardo Cota.

Em Tempo: Para muitos, o embrião da bossa nova foi gerado nove anos antes da emblemática “Chega de Saudade” cantada por Elizete Cardoso, em abril de 1958, com a criação do Sinatra-Farney Fan Club. O fã clube foi composto por moças e rapazes que as vésperas do carnaval não estavam interessados em cuícas e marchinhas. Nascia então o fã clube dos cantores Frank Sinatra e Dick Farney, o primeiro americano e o segundo, apesar do nome, brasileiro, que há alguns anos vivia fora do país. Para muitos, foi a   primeira tentativa da juventude carioca em fazer e discutir música. Entre outros, faziam parte  Tom Jobim, João Donato, Vinicius de Moraes, Jô Soares e Carlos Manga.

  • Palestra de abertura Mostra Frank Sinatra – A Voz no Cinema

Palestra dia 18 de agosto, às 14h com os professores Richard Penã e João Luiz Vieira sobre as interseções entre Frank Sinatra e Dick Farney, entre o cinema americano e o brasileiro. Entrada Gratuita.  

Richard Peña é professor de cinema na Universidade Columbia, NY. Durante 24 anos (1988-2012), dirigiu o Festival de Cinema de Nova York, quando realizou retrospectivas diversas de, entre muitos outros, Antonioni, Kiarostami, Gabriel Figueroa, Youssef Chahine, Ozu, Saura, além de organizar séries temáticas dedicadas aos cinemas da África, Cuba, Hungria, Japão, Argentina, entre outras cinematografias nacionais. Visita o Brasil com frequência, onde tem muitos amigos e tem proferido palestras e oferecido disciplinas no Curso de Cinema da UFF, como Film Noir (1992) e Cinema Chinês(2014). Richard dublou o personagem do antropólogo americano emTenda dos milagres, de Neslon Pereira dos Santos. Ele foi o primeiro autor a publicar um ensaio em inglês sobre Como era gostoso o meu francês.

João Luiz Vieira é Professor Titular do Departamento de Cinema e Audiovisual da UFF. Doutor em Cinema Studies pela New York University (1984), é pesquisador e conferencista, com diversas publicações e ensaios no Brasil e no exterior. Autor de Câmera-faca: o cinema de Sérgio Bianchi (2004) e textos sobre cinema nas antologias organizadas por Adauto Novais O Homem máquina (2003) e Ensaios sobre o medo (2007). Recentemente publicou ensaios sobre cinema brasileiro em The Brazilian Road Movie: Journeys Into (Self) Discovery (2013) e The International Film Musical (2012).

Programação Frank Sinatra – A Voz no Cinema

18/8
14 h Palestra com os professores Richard Penã e João Luiz Vieira – Grátis
16h Carnaval Atlântida (12 anos) 95 minutos
18h A Lua a seu Alcance (12 anos) 90 minutos

19/8
16h Beijou-me um Bandido (12 anos) 102 minutos
18h Corações Enamorados (12 anos) 117 minutos

20/8
16h A Bela Ditadora (12 anos) 94 minutos
18h Um Dia em Nova York (12 anos) 98 minutos

21/8
16h Isto sim é que é Vida (12 anos) 84 minutos
17h40 Marujos do Amor (12 anos) 140 minutos

22/8
16h Redenção de um Covarde (12 anos) 80 minutos
17h40 O Homem do Braço de Ouro (12 anos) 119 minutos

23/8
15h40 Chorei por Você (12 anos) 126 minutos
18h A Um Passo da Eternidade (14 anos) 118 minutos

25/8
16h Somos Dois (12 anos) 91 minutos
17h50 Can-Can (12 anos) 131 minutos

26/8
16h Eles e Elas (12 anos) 150 minutos
18h50 Meu Ofício é Matar (12 anos) 73 minutos

27/8
15h40 Deus Sabe Quanto Amei (12 anos) 136 minutos
18h Alta Sociedade (12 anos) 111 minutos

28/8
16h Meus Dois Carinhos (12 anos) 109 minutos
17h50 Debate – Gratuito

29/8
16h Os Viúvos Também Sonham (12 anos) 120 minutos
18h20 Sob O Domínio do Mal (14 anos) 103 minutos

30/8
16h Assalto a um Transatlântico 106 minutos
18h Quando Explodem as Paixões (12 anos) 125 minutos

1/9
16h O Expresso Von Ryan (12 anos) 117 minutos
18h20 Só Ficou a Saudade (12 anos) 109 minutos

2/9
16h Os Bravos Morrem Lutando (12 anos) 106 minutos
18h A Hora do Diabo (12 anos) 126 minutos

3/9
16h Robin Hood de Chicago (12 anos) 123 minutos
18h20 Os Três Sargentos (12 anos) 113 minutos

4/9
16h Os Quatro Heróis do Texas (12 anos) 124 minutos
18h20 Onze Homens e Um Segredo (12 anos) 127 minutos

5/9
16h Tony Rome (12 anos) 110 minutos
18h10 A Mulher de Pedra (12 anos) 93 minutos

6/9
16h Crime sem Perdão (12 anos) 113 minutos
18h10 O Primeiro Pecado Mortal (18 anos) 112 minutos

Serviço:

Mostra “Frank Sinatra – A Voz no Cinema”
Local: Cinemateca do Museu de Arte Moderna
Data:  18 de agosto a 6 de setembro de 2015 (terça-feira a domingo)
Endereço: Av Infante Dom Henrique 85 – Parque do Flamengo
Telefone: (21) 3883 5600 / 3883-5612
E-mail: atendimento@mamrio.org.br
Horário: Consultar programação
Ingressos: R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia).
Lotação: 180 lugares
Exposição, palestra e debate: Gratuito
Bilheteria: de terça-feira a sexta-feira, das 12h às 17h30; sábado, domingo e feriados, das 11h às 17h30.
Classificação Indicativa: consultar programação
Estacionamento: de 7h às 22h (pago no local)

DEIXE UM COMENTÁRIO