Carol Castro abre o VII Circuito Musica Brasilis na Sala Cecília Meireles

A apresentação homenageia os 200 anos do acordo de casamento entre Leopoldina e D.Pedro I e traz Carol Castro no papel da princesa austríaca

Rosana Lanzelotte Felipe Prazeres e Carol Castro (foto: Camilla Maia)

Série de espetáculos cênicos-musicais em que a música clássica é contextualizada por roteiros teatrais e projeções, o VII Circuito BNDES Musica Brasilis – Viagens entre mundos, idealizado e dirigido pela cravista e pesquisadora Rosana Lanzelotte, se inicia no dia 4 de junho, na Sala Cecília Meireles. O espetáculo Cartas Leopoldinas faz referência aos 200 anos de noivado da princesa Leopoldina e D.Pedro. O acordo de casamento, assinado em 1816, com a descendente de uma das mais importantes cortes europeias foi um passo para colocar o Brasil no mapa das relações internacionais. Quando veio para o Brasil, em 1817, Leopoldina trouxe uma preciosa coleção de partituras, com obras de, entre outros, Mozart, Beethoven, Schubert, Neukomm e Kozeluch, que hoje integram a Coleção Teresa Cristina Maria da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

O programa do espetáculo inclui obras dos dois compositores mais ligados a Leopoldina: Leopold Kozeluch, seu mestre em Viena, e Sigismund Neukomm, também austríaco, e com quem conviveu durante a estadia no Rio, entre 1816 e 1821. Neukomm dedicou à princesa diversas obras a quatro mãos que, possivelmente, tocava com D. Pedro. Também compositor, D. Pedro é o autor do “Hino da Independência”, que encerra a apresentação. Diversas obras do programa foram especialmente editoradas e estão disponibilizadas no portal Musica Brasilis (www.musicabrasilis.org.br), que, por conta da dificuldade de acesso, realiza relevante trabalho de resgate e difusão de partituras brasileiras.

As cartas de Leopoldina, interpretada pela atriz Carol Castro, ilustram o momento especialmente rico da música no país, em que a tradição vienense se funde com as modinhas e lundus brasileiros, em um roteiro situado entre 1816, ano do noivado com Dom Pedro, e 1822, ano da Independência do Brasil. Com figurinos inspirados na moda do século XIX, a atriz narra trechos em que a Princesa fala de seus momentos musicais com D. Pedro, enquanto os músicos Rosana Lanzelotte e Jacques Ogg (pianoforte), Felipe Prazeres (violino), Ricardo Kanji (flauta) e Alberto Kanji (violoncelo) apresentam as obras selecionadas.

Presentes em todas as edições, as projeções esse ano serão assinadas pela designer Dani Ferrari e serão inspiradas nas imagens do pintor e desenhista Jean-Baptiste Debret, que perpetuaram a vida na corte do Rio de Janeiro. Dani esteve à frente das animações para os telões no II, V e VI Circuito BNDES Musica Brasilis, respectivamente em 2011, 2014 e 2015; desenvolveu trabalhos para programas como The Voice Brasil, Show da Virada (TV Globo), Tribos (Multishow), Cineview (Telecine); além de eventos como o Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro, Vivo Open Air e Roda Skoll; entre outros.

O VII Circuito BNDES Musica Brasilis apresentará 14 espetáculos, em 7 cidades do país: Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, Aracaju, Paraty, Campinas e Belém. Além do noivado de Leopoldina e D.Pedro, o projeto fará referência a outras efemérides comemoradas em 2016, como os 200 anos da missão artística francesa, 180 anos de nascimento de Carlos Gomes e 80 anos do compositor Raul do Valle. Além das apresentações, Belo Horizonte e Rio de Janeiro receberão a exposição INTERAGIR>>> TOCAR, OUVIR, CRIAR, que irá abordar a música brasileira de todos os tempos, desde os cantos tupinambás até os dias de hoje, através de totens interativos, jogos e realidade aumentada. O projeto tem patrocínio contínuo do BNDES desde 2009 e este ano também foi contemplado nos editais do Fomento Olímpico, da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, e de ocupação do CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil).

Serviço:

Dia 4 de junho, sábado, 20h

Cartas Leopoldinas 

Local: Sala Cecília Meireles – Rio de Janeiro (RJ)

Largo da Lapa, 47 – Lapa. Tel: (21) 2332-9223

Lotação: 680 pessoas

Ingressos: R$20 (inteira) e R$10 (meia)

* 50% de desconto para titular e acompanhante do Clube Sou+Rio do jornal O Globo

* 10% de desconto para usuários do Passaporte Olímpico 

Classificação: 12 anos

Músicos: Rosana Lanzelotte e Jacques Ogg (pianoforte), Ricardo Kanji (flauta), Alberto Kanji (cello) e Felipe Prazeres (violino)

Programa: Obras de S. Neukomm e L. Kozeluch

Atriz: Carol Castro (como Princesa Leopoldina)

Projeções: Dani Ferrari, sobre imagens de Jean Baptiste Debret

 

Programa

  1. Neukomm (1778 – 1858)

                Marcha Triunfal (dedicada ao Príncipe do BrasilRio, 1816)

 

  1. Kozeluch (1747 – 1818)

                Triosonata op. 41 nº 2 para pianoforte, flauta e cello

 

  1. Neukomm (1778 – 1858)

Tema de Kozeluch com variações

(obra dedicada à Princesa Leopoldina – Rio 1817)

L’Allegresse Publique

(marcha composta para a aclamação de João VI – Rio, 1817)

Sonata para pianoforte e violino (dedicada à Princesa Isabel Maria – Rio, 1819)

                               Allegro ma non tropo – Allegro alla turca

Sonata para pianoforte a 4 mãos (dedicada à Princesa Maria Teresa – Rio, 1819)

                               Allegro – Andante – Allegro Vivace

 

  1. Pedro I (1798 – 1834)

                Hino Imperial e Constitucional (para a Independência do Brasil, 1822)

Sobre o Circuito BNDES Musica Brasilis
Criado em 2009 pela cravista e pesquisadora Rosana Lanzelotte, o Circuito BNDES Musica Brasilis é a única série de espetáculos multimídia voltados principalmente aos repertórios brasileiros de todos os tempos. Ao longo de seis edições, o Circuito BNDES Musica Brasilis realizou mais de 100 espetáculos em 24 cidades por todo o Brasil, com público de mais de 30 mil pessoas, além de 3 programas difundidos em rede aberta de TV para mais de 500.000 espectadores em todo o Brasil. O projeto é uma das únicas iniciativas totalmente voltadas aos repertórios brasileiros, em que obras clássicas são contextualizadas por imagens e narração. Ao longo dos anos, já se apresentaram nos espetáculos nomes como Antonio Meneses, Fabio Zanon, Fernando Portari, Rosana Lamosa, Lício Bruno, Marília Vargas Jacques Ogg, Wilbert Hazelzet,Quinteto Villa-Lobos, Art Metal Quinteto, as Orquestras Petrobras Sinfônica, Orquestra de Câmara do Amazonas, Orquestra PRIMA. Os atores Mateus Solano, Antonio Calloni e Pascoal da Conceição participaram das últimas edições. 

Sobre o Musica Brasilis
Criado também em 2009 por Rosana Lanzelotte, o Musica Brasilis tem como objetivo o resgate e difusão de repertórios brasileiros de todos os tempos e gêneros, em grande parte inacessíveis por falta de edições voltadas à execução. Até o momento, cerca de 1500 partituras de 500 compositores brasileiros estão disponíveis no site do projeto, para suprir uma imensa lacuna que dificulta a circulação desses repertórios.

O Musica Brasilis possui recursos educacionais abertos para apoio aos professores no ensino de música, obrigatório para 57 milhões de estudantes da rede básica.

Credenciados pela UNV – United Nations Volunteers (www.unv.org) – o portal tem tradução para diversas línguas, o que permite atingir mais de 10.000 acessos mensais por usuários de todo o mundo. O projeto tem também parceria com o Google Cultural Institute – a primeira exposição virtual com iconografia e vídeos sobre as práticas instrumentais do país (https://www.google.com/culturalinstitute/collection/musica-brasilis)

DEIXE UM COMENTÁRIO