Caixa Cultural apresenta a mostra “O samba pede passagem”

Exibições de filmes e debates fazem parte do projeto que celebra o Dia Nacional do Samba

A Caixa Cultural Rio de Janeiro, por intermédio da Lúdica Produções, apresenta entre os dias 1 e 13 de dezembro, a mostra de cinema “O samba pede passagem”, em comemoração ao Dia Nacional do Samba.  

O projeto busca ampliar o debate a respeito da relevância sociocultural do gênero, através de longas, médias e curtas metragens de diferentes épocas, passando pela Chanchada, Cinema Novo, Cinema Marginal, e os documentários contemporâneos, que adotam um olhar mais antropológico.  

Serão exibidos filmes que revisitam figuras como Cartola, Paulo Vanzolini, Paulinho da Viola e Clementina de Jesus, ajudando a delinear um panorama do samba moderno e suas influências. Películas raras como o curta “Pixinguinha” (1969), de João Carlos Horta, que esboça o retrato vivo daquele que, para muitos, é considerado o maior músico brasileiro de todos os tempos, também estão na programação.

Durante o evento, haverá a distribuição de um catálogo, constituído por sinopses, fotografias, além de artigos inéditos escritos por críticos e pesquisadores do estilo musical, além de sessões de cinema comentadas.

O recorte da mostra é a seleção de obras que buscam entender o valor do samba na constituição de identidade do povo brasileiro, suas transformações e a maneira como os ideais exaltados nas composições são enxergados pela sociedade.

A mostra acontece nos cinemas 1 e 2 da Caixa Cultural, localizada na Avenida Almirante Barroso, 25 – Centro do Rio. Os ingressos custam R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia).

Mesas redondas:
Além dos muitos títulos, a mostra ainda contará com três mesas que traçarão caminhos temáticos distintos.

A primeira, “A História Social do Samba”, com os imprescindíveis Luiz Antônio Simas e Hermínio Bello de Carvalho, faz uma jornada pelas origens. Assim, partimos do quintal de Ciata, passando pela “Santa Trindade” (Pixinguinha, Donga e João da Baiana), pelas histórias da Pequena África, pela polêmica de Pelo Telefone, pela turma do Estácio, pelas primeiras escolas, pelo rádio e seus grandes ícones. Simas contando a história desses e outros momentos, e Hermínio dando seu depoimento de testemunha ocular da convivência com alguns dos personagens mais importantes do nosso compêndio: Clementina, Aracy de Almeida, Paulinho da Viola, Nelson Cavaquinho.

A segunda mesa, “Samba, força de subersão”, conta com a professora de Letras da UERJ, Giovanna Dealtry e com o professor de filosofia da UFRJ, Bernardo Oliveira, para traçar a influência do gênero enquanto força social, representação, paixão, mudança, revolução, arte e construção de arquétipos. Esboça um debate em torno da ideia de nacionalidade, tão difundida nisso tudo. Passando pelos “malandros”, pela fomentação das escolas e sua representatividade no ato de fazer, nascer, ensinar e perpetuar; até chegar aos herdeiros atuais das narrativas de revolta, do sentimento de pertencimento e da mudança social propostas pelo samba seminal. A lapa de hoje, a lapa de outrora, o rap, o funk.

A última mesa, “Noel, a Vila mostrou que faz samba também”, conta com o jornalista e escritor da biografia de Noel Rosa, João Máximo e o cantor e pesquisador Alfredo Del-Penho, para uma descontraída aula cantada, onde serão narradas as peripécias e histórias das canções emblemáticas do Poeta da Vila.

Todas as mesas tem entrada franca.

Sobre o Dia Nacional do Samba:

Segundo a lenda popular, o Dia Nacional do Samba foi criado em homenagem ao sambista Ary Barroso, compositor da música “Na Baixa do Sapateiro”, uma ode à Salvador, capital da Bahia. O vereador baiano Luís Monteiro da Costa foi quem instituiu a data, marcando o dia em que Ary Barroso visitou a Bahia pela primeira vez, em 1940. Desde então, o Dia Nacional do Samba é comemorado principalmente em Salvador e no Rio de Janeiro, onde organizam-se festas e shows em homenagem ao ritmo.

Programação:

Cinema 1

16h – As Aventuras amorosas de um padeiro (1975), Waldir Onofre, 100 min, Brasil, 14 anos.

17h30 – Cartola, música para os olhos (2006), Lírio Ferreira e Hilton Lacerda, 88 min, Brasil, 10 anos. 

19h – Saravah (1972), Pierre Barouh, 91 min, Brasil, Livre.

Cinema 2

17h – Samba (2000), Theresa Jessouroun, 55 min, Brasil, Livre.

2 de dezembro (quarta-feira)

Cinema 1

16h – Damas do Samba (2013) Susanna Lira, 75 min, Brasil, Livre.

17h30 – Amor, carnaval e sonhos, Paulo Cesar Saraceni – 80 min, Brasil, 12 anos.

19h – Tudo é Brasil (1977), Rogério Sganzerla, 82 min, 12 anos.

Cinema 2

18h – Batatinha, o poeta do samba (2009), Marcelo Rabelo, 62 min, Brasil, Livre.

3 de dezembro (quinta-feira)

Cinema 1

16h – Natal da Portela (1988), Paulo Cesar Saraceni, 85 min, Brasil, 12 anos.

17h30 – Nelson Cavaquinho (1969), Leon Hirszman, 13 min, Brasil, 12 anos; Guilherme de Britto (2008), André Sampaio, 21 min, Brasil, Livre; Fala Mangueira! (1981), Frederico Confalonieri, 51 min, Brasil, Livre.

19h – Cartola, música para os olhos (2006) Lírio Ferreira e Hilton Lacerda, 88 min, Brasil, 10 anos. 

Cinema 2

18h – Cariocas – Músicos da cidade (1987), Ariel de Bigault, 58 min, Brasil, Livre.

4 de dezembro (sexta-feira)

Cinema 1

16h – Clementina de Jesus – Rainha Quelé (2011), Werinton Kermes, 56 min, Brasil, Livre.

17h – Heitor dos Prazeres (1965), Antônio Carlos Fontoura, 13 min, Brasil, Livre; Pixinguinha (1969), João Carlos Horta, 13 min, Brasil, Livre; Moreira da Silva(1973), Ivan Cardoso, 10 min, Brasil, Livre; Nelson Sargento (1997), Estevão Ciavatta Pantoja, 26 min, Livre.

18h – Mesa: A história social do samba, com Luiz Antônio Simas e Hermínio Bello de Carvalho.

Cinema 2

17h – Aldir Blanc – Dois pra lá, dois pra cá (2004), Alexandre Ribeiro de Carvalho, André Sampaio e José Roberto de Morais, 54 min, Brasil, Livre.

5 de dezembro (sábado)

Cinema 1

15h – Couro de Gato (1961), Joaquim Pedro de Andrade, 12 min, Brasil, Livre; Partido Alto (1982), Leon Hirszman, 22 min, Brasil, Livre; Meu Compadre Zé Ketti(2001), Nelson Pereira dos Santos, 12 min, Brasil, Livre.

16h – As Aventuras amorosas de um padeiro (1975), Waldir Onofre, 100 min, Brasil, 14 anos.

17h30 – Paulinho da Viola – Meu tempo é hoje (2003), Izabel Jaguaribe, 85 min, Brasil, Livre.

19h – Madame Satã (2002), Karim Ainouz, 100 min, Brasil, 16 anos.

Cinema 2

15h30 – Damas do Samba (2013) Susanna Lira, 75 min, Brasil, Livre.

17h – Agoniza, mas não morre (2011), Gabriel Meyohas e Maíra Motta, 15 min, Brasil, Livre; Guardiões do Samba (2014), Eric e Marc Belhassen, 96 min, Brasil, Livre.

6 de dezembro (domingo)

Cinema 1

15h – Nossa escola de samba (1965), Manuel Horácio Giménez, 29 min, Brasil, Livre; Paulo Moura – Infinita Música (1987), Ariel de Bigault, 56 min, França, Livre.

16h30 – Malandro, termo civilizado (1986), Sylvio Lanna, 25 min, Brasil, Livre; Onde a Coruja Dorme (2006), Simplício Neto e Márcia Derraik, 52 min, Brasil, 12 anos.

18h – Mesa: Samba, força de subversão, com Bernardo Oliveira e Giovanna Dealtry.

Cinema 2

16h30 – O mistério do samba (2008), Carolina Jabor e Lula Buarque de Hollanda, 89 minutos, Brasil, Livre.

8 de dezembro (terça-feira)

Cinema 1

16h – Maxixe, a dança perdida (1980), Alex Viany, 32 min, Brasil, Livre; Paulo Vanzolini – um homem de moral (2009), Ricardo Dias, 84 minutos, Brasil, Livre.

18h30 – Alô, Alô, Carnaval (1936), Adhemar Gonzaga, 60 min, Brasil, Livre.

19h30 – Berlim na Batucada (1944), Luiz de Barros, 75 min, Brasil, Livre.

Cinema 2

16h30 – Coração do samba (2002), Theresa Jessouron, 72 min, Brasil, Livre.

18h – Samba (2000), Theresa Jessouroun, 55 min, Brasil, Livre.

9 de dezembro (quarta-feira)

Cinema 1

16h – Madame Satã (2002), Karim Ainouz, 100 min, Brasil, Livre.

18h – Isto é Noel! (1990), Rogério Sganzerla, 46 min, Brasil, 12 anos; Noel por Noel (1981), Rogério Sganzerla, 10 min, Brasil, 12 anos.

19h – Paulinho da Viola – Meu tempo é hoje (2003), Izabel Jaguaribe, 86 min, Brasil, Livre.

Cinema 2

16h30 – Paulo Moura – Infinita Música (1987), Ariel de Bigault, 56 min, França, Livre.

17h – Batatinha, poeta do samba (2008), Marcelo Rabelo, 62 min, Brasil, Livre.  

10 de dezembro (quinta-feira)

Cinema 1

15h00 – Heitor dos Prazeres (1965), Antônio Carlos Fontoura, 13 min, Brasil, Livre; Pixinguinha (1969), João Carlos Horta, 13 min, Brasil, Livre; Moreira da Silva(1973), Ivan Cardoso, 10 min, Brasil, Livre; Nelson Sargento (1997), Estevão Ciavatta Pantoja, 26 min, Livre Maxixe, a dança perdida (1980), Alex Viany, 32 min, Brasil, Livre.

16h30 – Tudo é Brasil (1977), Rogério Sganzerla, 82 min, 12 anos.

18h00 – Isto é Noel! (1990), Rogério Sganzerla, 46 min, Brasil, 12 anos; Noel por Noel (1981), Rogério Sganzerla, 10 min, Brasil, 12 anos.

19h00 – Mesa cantada e contada: Noel a vila mostrou que faz samba também, com Alfredo Del Penho e João Máximo.

Cinema 2

16h30 – Paulo Moura – Infinita Música (1987), Ariel de Bigault, 56 min, França, Livre.

17h30 – Batatinha, poeta do samba (2008), Marcelo Rabelo, 62 min, Brasil, Livre.  

11 de dezembro (sexta-feira)

Cinema 1

16h – O mistério do samba (2008), Carolina Jabor e Lula Buarque de Hollanda, 89 minutos, Brasil, Livre.

17h30 – Paulo Vanzolini – um homem de moral (2009), Ricardo Dias, 84 minutos, Brasil, Livre.

19h00 – Natal da Portela (1988), Paulo Cesar Saraceni, 85 min, Brasil, 12 anos.

Cinema 2

17h00 – Maxixe, a dança perdida (1980), Alex Viany, 32 min, Brasil, Livre; Cariocas – Músicos da cidade (1987), Ariel de Bigault, 58 min, Brasil, Livre.

12 de dezembro (sábado)

Cinema 1

16h – Couro de Gato (1961), Joaquim Pedro de Andrade, 12 min, Brasil, Livre; Nossa escola de samba (1965), Manuel Horácio Giménez, 29 min, Brasil, Livre;Malandro, termo civilizado (1986), Sylvio Lanna, 25 min, Brasil, Livre; Partido Alto (1982), Leon Hirszman, 22 min, Brasil, Livre.

17h30 – Agoniza, mas não morre (2011), Gabriel Meyohas e Maíra Motta, 15 min, Brasil, Livre; Guardiões do Samba (2014), Eric e Marc Belhassen, 96 min, Brasil, Livre.

19h – O Rei do Samba (1951), Luiz de Barros, 70 min, Brasil, 12 anos.

Sessão especial com fala de Hernani Heffner

Cinema 2

15h30 – Amor, carnaval e sonhos, Paulo Cesar Saraceni – 80 min, Brasil, 12 anos.

17h – Coração do samba (2002), Theresa Jessouron, 72 min, Brasil, Livre.

13 de dezembro (domingo)

Cinema 1

15h – Nelson Cavaquinho (1969), Leon Hirszman, 13 min, Brasil, 12 anos; Guilherme de Britto (2008), André Sampaio, 21 min, Brasil, Livre; Fala Mangueira! (1981), Frederico Confalonieri, 51 min, Brasil, Livre.

16h30 – Berlim na Batucada (1944), Luiz de Barros, 75 min, Brasil, Livre. 

18h – Meu Compadre Zé Ketti (2001), Nelson Pereira dos Santos, 12 min, Brasil, Livre; Rio, Zona Norte (1957), Nelson Pereira dos Santos, 82 min, Brasil, Livre.

Cinema 2

16h – Paulo Moura – Infinita Música (1987), Ariel de Bigault, 56 min, França, Livre; Aldir Blanc – Dois pra lá, dois pra cá (2004), Alexandre Ribeiro de Carvalho, André Sampaio e José Roberto de Morais, 54 min, Brasil, Livre.   

Serviço:

Mostra Samba pede passagem

Local: Caixa Cultural Rio de Janeiro – Cinemas  1 e 2

Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro (Metrô: Estação Carioca)

Contato: (21) 3980-3815

Data: 1 a 13 de dezembro (terça-feira a domingo)

Horários: Consultar programação

Ingressos: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes Caixa pagam meia.

Lotação: Cinema 1 – 78 lugares (mais 3 para cadeirantes); Cinema 2 – 80 lugares (mais 3 para cadeirantes)

Bilheteria: terça a sexta-feira, de 18h às 20h. Finais de semana, de 10h às 20h

Classificação indicativa: Consultar programação

Acesso para pessoas com deficiência

Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

DEIXE UM COMENTÁRIO