Caixa Cultural apresenta a 59ª Edição da Exposição World Press Photo

Imagem dos refugiados na Europa foi a vencedora do prêmio principal. Fotógrafo brasileiro recebeu dois prêmios em diferentes categorias.

Migrants crossing the border from Serbia into Hungary.

A 59ª edição do World Press Photo, que é considerado o mais prestigiado concurso internacional de fotojornalismo, leva à CAIXA Cultural Rio de Janeiro, de 17 de maio a 19 de junho (terça-feira a domingo), a exposição dos mais impactantes registros fotográficos da imprensa mundial do último ano. São 164 imagens sobre temas como política, economia, esportes, cultura e meio ambiente. A mostra tem entrada franca e patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.

A World Press Photo do Ano, a grande vencedora, foi a imagem Esperança por uma nova vida, do australiano Warren Richardson. A foto apresenta um momento angustiante na fronteira húngaro-sérvia, em agosto passado, no instante em que um homem passa o seu bebê através do arame farpado. Richardson ficou acampado com os refugiados durante cinco dias, quando um grupo de 200 pessoas chegou para tentar atravessar a fronteira. A imagem contou apenas com a iluminação da lua para que o flash não atraísse a polícia que estava por perto.

“Desde o início, nós olhamos para esta fotografia e soubemos que era importante. Tem muito poder na sua simplicidade, pelo simbolismo do arame farpado, e dá uma noção visual do que está acontecendo com os refugiados”, explica Francis Kohn, presidente do júri e diretor de fotografia da Agence France-Presse.

Nesta edição, o Brasil está representado pelo fotógrafo brasileiro Mauricio Lima, premiado em duas categorias, e pelo Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, que foi cenário de série de fotos do espanhol Sebastián Liste.

Tapajós River, Itaituba, Pará State, Brazil, on February 10, 2015.  Indigenous children jump into the water as they play around the Tapajós river, in the Munduruku tribal area called Sawré Muybu.
Tapajós River, Itaituba, Pará State, Brazil, on February 10, 2015.
Indigenous children jump into the water as they play around the Tapajós river, in the Munduruku tribal area called Sawré Muybu.

Nascido em São Paulo, Mauricio Lima ganhou o 1º lugar na categoria Notícias Gerais, com a imagem de um adolescente de 16 anos – militante do Estado Islâmico, ferido na guerra da Síria –, feita para uma reportagem do New York Times, e o 2º lugar na categoria Vida Cotidiana, com a foto de um grupo de crianças da tribo Mundurucu brincando no Rio Tapajós, no Pará, feita para a Al Jazeera America, numa reportagem sobre a construção de hidrelétrica na região que pretende alagar grande parte das terras da tribo.

Lima é um dos fotógrafos brasileiros mais requisitados por veículos de comunicação internacionais e um dos principais colaboradores do NY Times. É vencedor do Prêmio Pulitzer 2016, junto com outros três profissionais, e foi eleito Fotógrafo do Ano pelo POY Latam, o maior e mais importante concurso de fotografia da América Latina.

Os brasileiros também vão se identificar com a série fotográfica do espanhol Sebastián Liste, que recebeu o 3º lugar na categoria Vida Cotidiana. Liste fotografou a rotina do Papo Reto, coletivo de mídia independente do Complexo do Alemão, que registra a vida dos moradores da comunidade.

Fevreiro 2015 - Rio de Janeiro, Brazil: General view of Complexo do Alemao from Papo Reto collective headquarters (Renata rooftop)
Fevreiro 2015 – Rio de Janeiro, Brazil: General view of Complexo do Alemao from Papo Reto collective headquarters (Renata rooftop)

O World Press Photo 2016 atraiu inscrições de todo o mundo: 5.775 fotógrafos de 128 nacionalidades inscreveram 82.951 imagens. O júri distribuiu prêmios em oito categorias para 41 fotógrafos de 21 países: Austrália, Áustria, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Irã, Itália, Japão, México, Portugal, Rússia, Eslovênia, África do Sul, Espanha, Suécia, Suíça, Síria, Turquia e EUA.

“Há anos a World Press Photo vem abordando a questão dos refugiados de conflitos no Oriente Médio e África. Não fosse pelas fotografias, talvez não soubéssemos a real gravidade do que está acontecendo. É uma das maiores crises humanitárias da História”, enfatiza Rafael Ferraz, organizador da exposição e sócio da Capadócia Produtora Cultural, responsável há nove anos por trazer a mostra ao Brasil. 

A World Press Photo, organização independente sem fins lucrativos, promove o mais importante concurso internacional de fotojornalismo. A fundação está empenhada em apoiar e promover altos padrões de qualidade na fotografia, com o objetivo de gerar interesse e reconhecimento no grande público pelo trabalho dos fotógrafos e de outros jornalistas visuais, e pela livre troca de informações.

Serviço:

Exposição World Press Photo 2016

Entrada franca
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Galeria 4

Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)

Telefone: (21) 3980-3815

Data: 17 de maio a 19 de junho de 2015 (terça-feira a domingo)

Horário: 10h às 21h

Classificação indicativa: 16 anos

Agendamentos: agendamento@gentearteirarj.com.br ou (21) 3980-4898

Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

 

DEIXE UM COMENTÁRIO