As Meninas estreia no Teatro Poeira

A história das três meninas que encantaram leitores e crítica ganha vida nos palcos através das atrizes Clarissa Rockenbach, Luciana Brites e Silvia Lourenço. E coroando a temporada carioca, o indicado ao Prêmio Shell SP, Daniel Alvim, reforça o elenco que ainda conta com as participações especiais de Clarissa Abujamra e Sandra Pêra.

Silvia Lourenço, Clarissa Rockenbach e Luciana Brites - Foto: Priscila Prade
Silvia Lourenço, Clarissa Rockenbach e Luciana Brites - Foto: Priscila Prade

No auge da ditadura militar, três jovens universitárias convivem num pensionato paulistano de freiras. É nele que as três meninas encaram o início da vida adulta, cada uma numa busca profunda pela sua própria identidade, vivendo uma história única de encontros e desencontros numa das épocas mais conturbadas do país. No palco as três vozes se misturam, para dar vida ao inquietante romance As Meninas, de Lygia Fagundes Telles, uma das mais importantes e corajosas obras da literatura brasileira. Adaptada para o teatro por Maria Adelaide Amaral e com direção de Yara de Novaes, o espetáculo chega ao Teatro Poeira, no Rio, terça-feira, dia 8 de setembro, às 21h. A peça estará em cartaz às terças e quartas, às 21h, até dia 21 de outubro de 2015.

A dramaturgia assinada por Maria Adelaide Amaral, segue as três meninas por fora e por dentro no relacionamento com os companheiros, com as freiras e com a família, em um tempo de censura e de silêncio. A história é contada por três olhares, o da aristocrática e romântica Lorena (Clarissa Rockenbach), que transpira generosidade e aspira viver um grande amor com um homem mais velho e casado; de Lia (Silvia Lourenço), idealista e guerrilheira, que milita pela causa da liberdade, sonhando em reencontrar o namorado, preso político e torturado; e de Ana Clara (Luciana Brites), a bela modelo que mergulha nas drogas, chamada de Ana Turva pelas outras, mas que acredita que um rico casamento possa libertá-la da dependência e do pavor da miséria.

Somando-se e entrelaçando-se à história principal, destaque para a Mãezinha de Lorena (Clarissa Abujanra), tão fútil quanto atormentada pelos sinais de velhice, e com ela o terror de perder seu jovem namorado. Também fazem parte da trama Max (Daniel Alvim); o belo e frágil amante de Ana Clara, que trafica para garantir a própria droga; Guga (também encenado por Daniel), colega de faculdade de Lorena, que abandona o curso de Direito para se tornar um despreocupado militante do movimento Paz e Amor; e Irmã Priscila (Sandra Pêra), a freira perplexa com a revolução dos costumes que atinge a todos leigos e os religiosos.

A peça começou a ser gerada em 2007, depois que a atriz Clarissa Rockenbach e o produtor Fernando Padilha fizeram um trabalho universitário baseado no romance. Um ano depois, Padilha telefonou para Lygia que concordou com a montagem e indicou Maria Adelaide Amaral para escrever a adaptação para os palcos. Maria Adelaide que havia lido o livro há muitos anos, recebeu o novo exemplar autografado, e decidiu adaptá-lo, prestando assim uma grande homenagem à escritora. “Foi o Fernando Padilha quem me convidou, estava ocupadíssima, mas sendo texto da Lygia não havia como recusar. Escrever a adaptação foi muito fácil, porque as qualidades dramáticas de As Meninas revelam-se imediatamente. Minhas interferências foram mínimas. Teatro é a arte da síntese. É exatamente o contrário de uma narrativa literária. O que fiz foi pinçar e destacar do romance da Lygia os momentos mais reveladores e dramáticos da história e das personagens”.

Por sua vez, Maria Adelaide indicou a diretora Yara de Novaes, que se sentiu muito honrada em participar do projeto. Segundo Yara, a direção foi inspirada na adaptação de Adelaide: “Uma adaptação maravilhosa que não só respeita, mas, sobretudo, dialoga com o romance, condensando ou deslocando personagens e ações, num fluxo teatral muito propiciador da boa cena. Das falas ao encadeamento das cenas, passando pelas rubricas, tudo na adaptação tem o legado humano e estético criado por Lygia Fagundes Telles, no livro As Meninas“.

O espetáculo estreou em 31 de outubro de 2009, em São Paulo, e ficou em cartaz até 2010. Agora é apresentado no Rio de Janeiro pela primeira vez, com patrocínio da Unimed Seguros. A peça é uma realização da Pad Rok Produções Culturais.

Além de um romance envolvente, As Meninas mostra um apaixonante retrato político do Brasil e de um mundo em transformação. Nada será como antes. Nunca mais.

Serviço:

Espetáculo: AS MENINAS
Estreia dia 08 de setembro, às 21h.
Temporada de 08 de setembro a 21 de outubro de 2015
Terças e quartas, às 21h.
Local: Teatro Poeira – R. São João Batista, 104
Tel. bilheteria: (21) 2537-8053
www.teatropoeira.com.br
Horário de funcionamento: terça a domingo, das 15h as 21h
Ingressos: R$50,00
Duração: 80 minutos
Classificação: 14 anos.
Lotação: 135 lugares.

Ficha Técnica:

Espetáculo: AS MENINAS
De Lygia Fagundes Telles e adaptação e dramaturgia Maria Adelaide Amaral
Direção e concepção: Yara de Novaes

Elenco: CLARISSA ROCKENBACH como Lorena, LUCIANA BRITES (Ana Clara), SILVIA LOURENÇO (Lia) e DANIEL ALVIM (Max e Guga). Participações especiais de CLARISSE ABUJAMRA como Mãezinha e SANDRA PÊRA como Irmã Priscila.

Elenco em OFF: Julio Machado como M.N. e Eloísa Elena como Secretária
Cenário e figurinos: André Cortez
Iluminação: Juliana Santos
Trilha sonora: Dr Morris
Preparação corporal: Miriam Rinaldi
Preparação e arranjo vocal: Daniel Maia
Visagismo: Bruna Pires
Fotografia: Ronaldo Aguiar e Priscila Prade
Programação visual: Tuagência
Assistente de direção: Leonardo Bertholini
Assistente de produção: Priscila Tello
Lei de incentivo: Egberto Simões
Produção executiva: Gustavo Sanna
Direção de produção: Fernando Padilha
Realização: Pad Rok Produções Culturais Ltda.
Idealização: Clarissa Rockenbach e Fernando Padilha
Assessoria de imprensa: Lu Nabuco Assessoria em Comunicação
Patrocínio: Unimed Seguros

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui