Apollo aparece com maturidade no pop nacional com o EP “Pure Lust”

Foto: Rômulo Soares
Foto: Rômulo Soares

O cantor e compositor carioca Apollo aparece no cenário musical como uma grande aposta para o indie pop nacional. O EP “Pure Lust”, seu trabalho de estreia, é lançado e distribuído pela Sony Music Brasil nos principais meios de música digital.

O “Pure Lust” de Apollo passou por um processo longo, digno de estórias homéricas. O cantor passava por uma fase de provação, com a voz fraca, como se estivesse perdida. Ao compor “Loan”, última faixa do EP e uma produção de Leo Justi (Heavy Baile, M.I.A, Emicida), Apollo percebeu que cantar sobre sua experiência pessoal lhe dava forças, como uma terapia.

image002

“Ao compor ‘Loan’, considerei a minha música mais honesta, e foi com ela que notei a importância de escrever sobre o que era real pra mim, as minhas dúvidas e no que eu acreditava. Compus 20 músicas e as que senti maior identificação, enviei para o Diogo (Strausz), junto a uma paleta de sonora que me atraía. Depois disso foi produção e estúdio até chegar no resultado final”, explica o artista.

O EP produzido por Diogo Strausz (Alice Caymmi, Castello Branco, Kassin, João Capdeville) traz como marca registrada diversas nuances de músicas feitas para ser livre e dançar. “Crash”, o primeiro single do álbum, traz uma atmosfera minimalista, com referências como Kate Boy, Banks, The Weeknd, Lil Siva e Jay-Z.

“Pure Lust” está disponível nas principais plataformas digitais e o primeiro video, para “Crash”, já está disponível no YouTube.  No clipe dirigido por Pablo Monaquezi, os mistérios e as transformações da faixa foram simulados pela destruição e construção de um monólito, tal qual o filme “2001 – uma odisseia no espaço”.

Assista ao vídeo de “Crash”:

“Pure Lust” para download: http://smarturl.it/ApolloPureLust

“Pure Lust” no Spotify: https://open.spotify.com/album/20JsZAe4AidxThS8ux4K3W

Quem é Apollo?
É olhando para o futuro que Apollo guia a sua carreira. Avesso ao que impossibilite a sua criatividade na forma mais pura, ele invade o pop nacional com a força de um verdadeiro deus grego. Muito mais do que trabalhar com música, ele sempre viveu a música: aos nove anos ele iniciou as aulas de piano e começou a compor suas canções. Aos 14, passou a cantar em um coral e aos 18 anos, quando todos decidem o que fazer da vida, ele optou por investir tudo no poder da sua voz.

Apollo - Foto: Romulo Soares
Apollo – Foto: Romulo Soares

A estética mitológica no trabalho de Apollo surgiu como um alter-ego do cantor, como se ao estar no palco, ele se transformasse naquele que traz a luz, que ascende ao espaço para se tornar a maior estrela entre todas. “O artista surgiu da união das minhas ideias pessoais com alguns produtores que trabalhava na época. Eu fui moldando o que queria de sonoridade, e ao lidar com a estética da mitologia grega e a relação com o espaço e a Lua, o ícone Apollo me soou perfeito para o artista que sempre fui”, comenta.

A sensualidade natural do pop é encontrada no EP de estreia de Apollo, “Pure Lust”, lançado no dia 19 de maio, com distribuição pela Sony Music Brasil. As faixas do EP são assinadas por grandes produtores como Diogo Strausz (Alice Caymmi, Castello Branco, Kassin, João Capdeville) e Leo Justi (M.I.A, Emicida, Heavy Baile).

Como uma terapia, o EP foi a forma de Apollo se encontrar com o seu lado real, com as suas inseguranças e verdades. “Foi um processo longo. Vinha de um trabalho com o Leo, porém estava achando minha voz perdida, sem força. Ao compor as músicas para o EP, vi que escrever sobre minhas experiências funcionava. Selecionei as músicas que mais gostei dessa leva e enviei para o Diogo, junto a uma paleta sonora que me atraía. Foram dois meses de produção e gravação das músicas até chegar no resultado final”, conta Apollo.

DEIXE UM COMENTÁRIO