Apesar da crise, Hostel cresce 300% desde 2013

Na contramão do atual cenário econômico, franquia The Hostel prevê aumento considerável para 2016 e os próximos anos

Tudo começou quando o proprietário da franquia The Hostel, João Luiz Lima Junior terminou uma sociedade no Rio de Janeiro e ficou apenas com R$ 3.000 reais para se virar em uma cidade que não era a dele. Ele teve que voltar a São Paulo, para poder dar continuidade no projeto, junto aos investidores. “Começamos com um faturamento de R$40.000,00/mês na nossa primeira unidade na região da Avenida Paulista e hoje já temos um faturamento de R$2.160.000,00 anuais com duas unidades”, relembra João.

 
A franquia The Hostel nasceu a partir de um modelo financeiro similar à de uma startup de tecnologia, ele pauta-se no produto viável mínimo (MVP). Com o tempo, tal estratégia foi aperfeiçoada conforme a maturidade do negócio e mercado. O aporte inicial do The Hostel foi de R$180 mil e em nove meses houve o payback. Atualmente o investimento nas duas unidades é de mais de R$1 milhão de reais, para os próximos anos o proprietário prevê um investimento de R$ 4 milhões.
 
“Eram apenas 40 camas, mas desde o começo, sempre reinvestimos tudo que lucrávamos, aumentando a quantidade de camas e melhorando a estrutura do hostel”, diz o proprietário. Agora, junto à unidade da Vila Mariana, o The Hostel chegou a marca de 185 camas na cidade de São Paulo, que hoje representa 10% do Market share da cidade, segundo a SPTURIS.
 
 
Até 2018, a projeção é abrir 10 unidades nas cinco regiões do Brasil e alcançar um faturamento anual de R$ 13 milhões. Além de receber hóspedes do mundo inteiro, o The Hostel possibilitou a criação de pequenas empresas para atender a demanda das unidades. Tais negócios contam com três agências (turismo receptivo, eventos e marketing), central de reservas e lavanderia. O proprietário não pensa apenas no futuro das empresas dele, nos hostels há um programa de trainee, que visa a formação de novos líderes para dar continuidade aos projetos. “Sabemos que com planejamento e estrutura conquistaremos um mercado grande no Brasil”, diz ele.

DEIXE UM COMENTÁRIO