Ao faminto poeta, com amor

Camarão no Côco
Camarão no Côco

Carlos Drummond de Andrade tinha uma forte ligação com a comida. Pode reparar. Há várias referências à alimentação em suas obras. A justificativa dessa relação com a gastronomia, segundo Rubem Alves, vem de um desejo de transformar o mundo inteiro em comida. Afinal, “poemas são feitos para serem comidos”, dizia Rubem. E se a poesia é o retrato da vida, é como se Drummond quisesse retratar o mundo para depois devorá-lo e apreciá-lo, todo em forma de versos.

A relação do poeta com a cozinha é tão intensa que suas estrofes podem ser confundidas com receitas, como no Poema culinário, escrito por ele. E entre uma estrofe e outra, nada mais justo que a gastronomia, entre um modo de preparo e outro, preste uma singela homenagem ao mineiro de Itabira que, se estivesse vivo, completaria 113 anos neste dia 31 de outubro. Data esta que ficou conhecida como “Dia D”, escolhida para festejar Drummond.

E os ingredientes da culinária mineira não poderiam traduzir melhor uma homenagem ao poeta de Itabira. Recheada de ingredientes como mandioca, manteiga de garrafa, queijo e goiabada, a cozinha de Minas agrada tanto a poesia quanto ao paladar dos comensais.

No Nomangue, os chefs o Vaval — filho mais velho da celebrada cozinheira de Barra de Guaratiba, Tia Penha — e Suzana Batista, utilizam os sabores mineiros em muitas de suas receitas. Na filial da Barra, comandada pela chef Suzana, o camarão no coco leva manteiga de garrafa em seu preparo, além de alho poró, urucum e leite de coco (R$ 125). A pimenta também está presente no ceviche dedo-de-moça, que leva tilápia, pimenta dedo-de-moça e tomates-cereja (R$ 26). Já o “Romeu e Julieta” de Minas é oferecido como sobremesa na casa de Copacabana, onde quem dá as cartas é o chef Vaval: o sorvete de queijo vem acompanhado de pétalas de goiabada (R$ 18).

Seja “No Restaurante” ou simplesmente falando de “Frutas do Brasil ou da Infância”, a poesia de Drummond é bem temperada, caseira e feita para ser saboreada do início ao fim. Rubem Alves certo: elas são feitas pra serem comidas mesmo.

“Deixaste-nos mais famintos,
poesia, comida estranha,
se nenhum pão te equivale”.

Drummond

(Clique nas imagens para ampliar)

[justified_image_grid]

Serviço – Nomangue (BARRA)
Nome: Nomangue Frutos do Mar
Endereço: Estrada Coronel Pedro Correia, 122, lojas A e B, Barra.
Metrô a menos de 500 metros: Não
BRT a menos de 500 metros: Sim, Estação Pedro Correa
Telefone: 021 2441-4195 / 021 3416-8821
Número de lugares: 200 (duzentos)
Horário de funcionamento: Fechado às segundas / Terça a quinta: 11h30 às 23h / Sexta e sábado: 11h30h à 0h / Domingos e feriados: 11h30 às 21h
Cartões de crédito: Todos
Cartões de débito: Todos
Vales e Tickets: TR, VR, Green Card, Smart, Visa Vale, Alelo
Couvert Artístico: Sim, R$ 7, às sextas (das 20h à 0h).
Vinho em taça: Sim.
Aceita que o cliente leve o próprio vinho: Sim.
Taxa de rolha: Sim, R$ 30,00
Acesso para deficientes físicos, com banheiro adaptado: Sim, elevador e banheiro
Área para fumantes: Sim.
Atividades para crianças: Sim.
Entrega em domicílio: Sim, aos finais de semana e feriados de 12h às 17h
Wi-fi: Sim, gratuito
Filiais: Sim, em Copacabana, na Rua Sá Ferreira, 25
Site: www.nomangue.com.br
Aberto em: 2002.

Serviço Nomangue (COPACABANA)
Nome: Nomangue Frutos do Mar
Endereço: Rua Sá Ferreira, 25, Copacabana
Telefone: 021 2521-3237
Metrô a menos de 500 metros? Sim
Número de lugares: 80
Horário de funcionamento: 11h30/23h (qui. a sáb. até 0h; dom. até 22h)
Cartões de crédito: Todos 
Cartões de débito:  Todos 
Cartões de refeição: Não 
Tíquetes: Não 
Cheque: Não 
Estacionamento? Sim 
Manobrista?  Sim 
Couvert? Sim
Couvert artístico? Não
Vinho em taça? Sim
Rolha?  R$ 30,00
Acesso para deficientes físicos: Não
Área para fumantes? Não
Menu ou atividades para crianças?  Sim 
Entrega em domicílio? Não 
Wireless? Sim 
Site: http://www.nomangue.com.br/ 
Aberto em que ano: 2012

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui