Antonio Skármeta narra o cotidiano sob os olhos do pequeno Faísca

Na trama do autor de “O carteiro e o poeta”, menino pobre e feliz sobrevive ao lado do pai desempregado

Muito conhecido pelo já clássico “O carteiro e o poeta”, que ganhou adaptação para o cinema, o escritor chileno Antonio Skármeta tem uma extensa produção voltada para as crianças. Seu livro “A redação”, por exemplo, venceu o Prêmio Unesco de Literatura Infantil e Juvenil em Prol da Tolerância. A sensibilidade e a capacidade de tratar, em sua escrita, de temas do cotidiano e da história de seu país sob os olhos inocentes das crianças estão mais uma vez presentes em “Faísca”, que a Galera Júnior lança em novembro.

Faísca é um menino pobre porém inquieto, feliz e animado. Diariamente, faz algumas tarefas para Castillo, um escritor da cidade, que lhe recompensa com uma gorjeta. É este dinheiro que sustenta a casa em que Faísca mora com seu pai. Desempregado, o homem passa seus dias procurando trabalho. Já Faísca acaba sempre procurando aventuras. Separa uma parte do dinheiro para ir ao novo carrossel da cidade; visita a mãe na escola onde ela dá aulas e aprende sobre cores e pintores.

Skármeta fala sobre política, família, arte e amor de modo bastante sutil e delicado. O texto ganha muito com as belíssimas ilustrações de Cárcamo, ilustrador chileno que já colaborou com Walt Disney e uma série de autores, de Gabriel Garcia Márquez a Eça de Queiroz.

Serviço

FAÍSCA
Antonio Skármeta

Páginas: 48
Preço: R$ 38
Tradução: Leo Cunha
Editora: Galera Júnior | Grupo Editorial Record

DEIXE UM COMENTÁRIO