Quando fui convidado para o evento “Not a Party” (não é uma festa), fiquei na dúvida do que seria esse evento, que afirmava não ser apenas uma festa como as milhares que acontecem na noite carioca em uma sexta à noite. Será mesmo?

Assim que cheguei à Mansão Botafogo (Av. Venceslau Braz, 72 – Botafogo), a primeira surpresa: pessoas vestidas de com um manto preto e uma máscara que lembra uma mistura do filme “Pânico” e “Olhos bem fechados”. Isso já chamou minha atenção. Adentrando o espaço, dou de cara com homens e mulheres vestidos como gregos (ou ninfas?) dançando alucinadamente. Ok, agora a dúvida ficava em relação a música e as pessoas, pois eram 22 horas e a fila ainda estava pequena. Para quem frequenta a noite, sabe que uma fila cheia representa status de boa festa.

A festa começou de forma tímida, com a pista meio vazia, porém com uma trilha sonora ótima, nas mãos da DJ Andressa Fleming. Não sou um conhecedor do estilo e mesmo assim me empolguei com alguns hits que foram tocados. As pessoas começavam a chegar e logo percebi algo que me deixou animado: o caráter eclético da festa. Vários estilos juntos e misturados, apenas curtindo a música e o open bar, que servia as cervejas Heineken e Desperados.

Not a Party (Divulgação)
Not a Party (Divulgação)

Lá pelas 00:30, a pista estava fervendo com a DJ Giordanna Forte e logo após o DJ Bruno Pacheco, que tocavam o melhor do pop. A músicas variavam e empolgavam o público, inclusive este que vos fala. Tivemos direito a um show cover de Cazuza, que mandou bem e fez uma galera cantar junto.  

Obviamente que o Funk não poderia ficar de fora e todos iam a loucura. O grupo Dream Team do Passinho animou mais ainda e tocaram alguns clássicos do funk. Um dos melhores shows da noite, uma pena que foi tão curto.

Durante toda a festa, os mascarados apareciam e vendavam algumas pessoas, as levando para um lugar no segundo andar. O que faziam? Se falar estrago a surpresa, mas digo que valeu a pena.

Como uma ótima proposta, Not a Party continua sendo uma festa na essência, porém se destaca e muito pela originalidade em fugir do padrão noite carioca, dando algumas opções a mais para quem quer se divertir de forma alternativa. Fica o destaque para o ambiente e público ecléticos, que dão um ar especial ao evento.

DEIXE UM COMENTÁRIO