Acervos digitais: edital prorrogado até 10 de fevereiro

A Secretaria de Políticas Culturais do Ministério da Cultura (SPC/MinC) e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) prorrogaram, até 10 de fevereiro de 2016, o prazo para recebimento de projetos de pesquisa para o edital Povos Originários do Brasil, focado em acervos de interesse memorial em torno da cultura indígena brasileira.

Com recursos de aproximadamente R$ 1,4 milhão, provenientes do Fundo Nacional de Cultura (FNC), o edital tem o objetivo de incentivar e apoiar a coleta, a recuperação, a conservação e a disponibilização para o acesso público, via internet, de acervos de interesse científico e cultural de bens do patrimônio indígena brasileiro.

Podem apresentar propostas pesquisadores vinculados a instituições de caráter cultural, científico e tecnológico – como universidades, bibliotecas, arquivos, museus etc. Os projetos aprovados poderão receber recursos de até R$ 80 mil, destinados exclusivamente ao pagamento de bolsas de pesquisa como auxílio ao pesquisador.

Os números de bolsas e categorias dependerão da demanda e da avaliação dos projetos apresentados. As propostas a serem apoiadas deverão ser executadas em um período de até 12 meses. 

Projetos-piloto
Como parte das políticas adotadas pelo MinC, a SPC lançou, em 2013, um projeto-piloto com o intuito de articular uma política nacional que contemple a digitalização de acervos da cultura brasileira.

Nesta primeira fase, além da UFPE, por meio do seu Laboratório de Tecnologia da Informação, participa ainda o Laboratório de Políticas Públicas Participativas da Universidade Federal de Goiás (UFG), com o apoio da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

O arranjo institucional comtempla a produção de conteúdos, por meio dos editais para acervos digitais lançados pela UFPE, e o desenvolvimento pela UFG de uma solução tecnológica em software livre para disponibilizar tais acervos na internet, que foi batizada de Tainacan e está em fase de testes.

O primeiro edital lançado teve como tema “Preservação e Acesso aos Bens do Patrimônio Afro-Brasileiro” e recebeu 92 inscrições. Os 24 selecionados concluíram seus trabalhos em novembro deste ano e os resultados das pesquisas já podem ser acessados.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO