Arte Naïf Brasileira chega a França com grande exposição em Nice

Uma seleção de 70 trabalhos de 50 artistas de destaque no segmento convidam um novo público a uma viagem por suas almas

Autor – Chico da Silva Titulo – Mulher com dragões - Ano – 1964 Técnica – Guache sobre placa Dimensão – 75x112 cm

O Musée International d´Art Naïf Anatole Jakovsky abre seu espaço para a mostra Brasil Naïf, Uma Viagem Na Alma Brasileira/ Fantaisies Brésiliennes que exibe uma seleção de obras de 50 artistas de maior destaque na arte naïf brasileira, por iniciativa do marchand e galerista Jacques Ardies, franco-belga radicado no Brasil há 40 anos, proprietário da galeria homônima, e que há 37 vem se dedicando ao segmento e que responde pela curadoria da mostra. Por ocasião da abertura, o marchand lança a versão em francês de seu novo livro “L´Art Naïf du Brésil”.

Na expografia criada para apresentar esses trabalhos, estabelece-se a ordem cronológica do desenvolvimento da arte naïf no Brasil. Com seus primeiros registros datados nos  de 1940, quando artistas como Silvia Chalreo e Chico da Silva, são aceitos em salões de arte oficiais, apresentando um testemunho de arte original resultado de uma miscigenação racial somado ao sincretismo religioso e uma  necessidade premente de vencer dificuldades diárias representados pelas cores da esperança.

Recebe novo destaque no começo dos anos 1960 quando é descoberto um grupo que desperta atenção pela excepcional capacidade de se expressar de forma diferenciada. “Destacam-se as obras de Elisa Martins da Silveira, Elza O. S, Julio Martins da Silva, Mirian, Agostinho Batista de Freitas, Antonio Poteiro e Ivonaldo Veloso de Melo, entre muitos outros”, diz Ardies. Seu principal diferencial com as correntes artísticas vigentes no período vem do fato de cada artista construir o seu próprio método de expressão e criar uma linguagem pessoal que tenta, ao longo de sua carreira, desenvolver obstinadamente. “Cada um, imbuído de sua missão estética, traz a esperança de uma convivência mais harmoniosa de raças e crenças, convencidos de que sua arte está a serviço de um mundo melhor”, explica Jacques Ardies.

Nomes de relevância no setor como José Antônio da Silva, Sílvia Charleo, Chico da Silva, José de Freitas, Rosina Becker do Valle e Iaponi Araújo tem trabalhos expostos bem como os novos e atuantes artistas: Helena Coelho, Rodolpho Tamanini Netto, Malu Delibo, Cristiano Sidoti, Isabel de Jesus, Maria Guadalupe, Ana Maria Dias e Barbara Rochlitz. Os temas serão amplos e complementares. Todos os aspectos estarão presentes: da música de Villa-Lobos ao samba popular, as cerimônias de candomblé e as partidas de futebol, plantações de milho e o frenesi das cidades .

Com a exposição Brasil Naïf, Uma Viagem Na Alma Brasileira/ Fantaisies Brésiliennes, Jacques Ardies visa proporcionar uma visão geral da riqueza e da diversidade da arte naïf brasileira com uma coleção de pinturas representativas por diferentes artistas já reconhecidos, complementada por uma seleção de telas contemporâneas de autores ainda ativos. “Tudo isso leva a uma coleção de pinturas de surpreendente testemunho da diversidade do Brasil encantadora e atraente”, conclui o curador.

Exposição: Brasil Naïf, Uma Viagem Na Alma Brasileira – Fantasies Bresiliennes

Curadoria: Jacques Ardies – www.ardies.com

Abertura: 9 de junho, quinta-feira, às 19h00
Período: de 10 de junho a 3 de outubro de 2016

Local: Musée International d’Art Naïf Anatole Jakovsky
Endereço: Château Ste. Hélène – 23, Avenue de Fabron  
06 200  Nice, França (estacionamento gratuito)
Tel.: (+33)(04) 93 71 78 33
Horário: de quarta a segunda-feira, das 10h às 18h (fechado às terças-feiras)
Número de obras: 70 obras de 50 artistas
Técnica: pinturas

A GALERIA JACQUES ARDIES

A Galeria Jacques Ardies, na Vila Mariana, está sediada em imóvel antigo totalmente restaurado. Desde sua abertura em Agosto de 1979, atua na divulgação e a promoção da arte naïf brasileira. Ao longo de 37 anos, realizou inúmeras exposições tanto em seu espaço como em instituições nacionais e estrangeiras, onde podemos destacar MAC/ Campinas, MAM/ Goiânia, Espace Art 4 – Paris, Espaço Cultural do FMI em Washington DC, USA, Galeria Jacqueline Bricard, França, a Galeria Pro Arte Kasper, Suíça e Gina Gallery, Tel-Aviv, ,Israel. Em 1998, Jacques Ardies lançou o livro Arte Naïf no Brasil com a colaboração do crítico Geraldo Edson de Andrade e em 2003, publicou o livro sobre a vida e obra do artista pernambucano Ivonaldo, com texto do professor e crítico de arte Jorge Anthonio e Silva. Em 2014, publicou Arte Naïf.  no Brasil II, de sua autoria, com textos complementares de Daniel Achedjian, Peter Rosenwald, Marcos Rodrigues e Jean-Charles Niel. A galeria possui em seu acervo obras, entre quadros e esculturas, de 80 artistas representativos do movimento da Arte Naif brasileira.

DEIXE UM COMENTÁRIO