100 Coisas que Cem Pessoas Não Vivem Sem

Capa100 Coisas que Cem Pessoas Não Vivem Sem é o livro de fotografia de André Arruda que apresenta retratos exclusivos de cem brasileiros e cem fotos de seus objetos e/ou coisas favoritas, inesquecíveis, amadas, estimadas, imprescindíveis. O livro reúne imagens que compõem o conceito que o autor chama de Arqueologia Instantânea: objetos e/ou coisas que apresentam cem brasileiros no início do século XXI. Nele estão retratadas pessoas de destaque em suas áreas de atuação, famosos e não famosos, de diferentes setores e grupos sociais do país, incluindo um pajé kamaiurá, um pescador do nordeste, músicos, atrizes, chefs de cozinha, empresários, gari, atletas, escritores, garçom, vaqueiro, mergulhador e tantos outros.  O lançamento no Rio de Janeiro será no dia 03 de maio, terça-feira, 19h, na Livraria da Travessa doShopping Leblon, e dia 17 de maio, na Blooks, em São Paulo.
Divulgação
 

100 Coisas que Cem Pessoas Não Vivem Sem conta um pouco a história de cada pessoa através de seus retratos e das fotos de seus objetos/coisas. As 200 fotografias(cem pessoas e cem objetos) foram realizadas entre agosto de 2005 e abril de 2015, sobre fundos brancos e reais, conferindo o máximo de neutralidade ao personagem e coisa/objeto, sem recortes digitais, nos mais variados ambientes, situações e locações diversas, como um sítio em Serrita, no interior do sertão pernambucano, a estúdios de cinema.

Divulgação

O livro tem introdução da jornalista e escritora Cora Rónai, texto de Andre Arruda e depoimentos de cada personagem fotografado sobre o objeto escolhido. Concepção do projeto, fotografias e direção de arte de Andre Arruda, execução de projeto gráfico de Carlos Clark.

Andre Arruda trabalhou no Jornal do Brasil, O Globo, revistas Época, Piauí, Veja, Quem, Contigo, Vip, Top Magazine, Top Destinos, Imagine, Tim Telefonia, entre outras e mercado publicitário, além de publicações em livros de arte, exposições e projetos autorais, com destaque para os ensaios Outra Copacabana e Fortia Femina e coautoria nos livros Blocos de Rua do Carnaval do Rio de Janeiro I e II [Rio de Janeiro: Réptil, 2011 e 2013].

DEIXE UM COMENTÁRIO